CIEB lança Currículo de Referência em Tecnologia e Computação

mandala_600x314 (1)

2 de outubro de 2018

O Currículo de Referência em Tecnologia e Computação tem como principal objetivo apoiar redes de ensino e escolas a incluir os temas tecnologia e computação em suas propostas curriculares. O currículo atende da Educação Infantil ao Ensino Fundamental II, para implementação de práticas que ajudem a desenvolver nos alunos competências e habilidades relacionadas a tecnologia e a computação.

O documento foi desenvolvido, pelo CIEB, a partir do estudo realizado pelos especialistas André Luís Alice Raabe, professor titular da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Flávio Rodrigues Campos, colaborador da Escola de Formação de Professores do Governo do Estado de São Paulo (Efap) e Christian Puhlmann Brackmann, coordenador geral de pós-graduação no Instituto Federal Farroupilha.

Alinhado às competências gerais e às habilidades da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o currículo visa, principalmente, a 5ª competência geral da base: “Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva”.

O Currículo está organizado em três eixos – Cultura Digital, Pensamento Computacional e Tecnologia Digital, cada um com seus conceitos. Ao todo, são dez conceitos e 147 habilidades.

O usuário pode navegar pelo site e selecionar os temas de interesse, por cada ano das etapas de ensino.

Um dos grandes diferenciais deste material é apresentar referências sobre como os professores podem desenvolver cada uma das habilidades propostas em sala de aula, por meio da sugestão de práticas pedagógicas.

Além disso, também é fundamental entender se os alunos aprenderam determinado conteúdo abordado em uma habilidade – e é por isso que são apresentadas sugestões de avaliação e, da mesma forma, materiais de referência (sites, plataformas, objetos digitais de aprendizagem, jogos, programas etc.) que podem apoiar os professores no planejamento e na sala de aula.

Outro elemento importante da proposta aqui apresentada é a associação de cada uma das habilidades com o nível de maturidade da escola, em relação ao uso de tecnologias, e, ainda, o nível de maturidade do docente, que é o conhecimento específico necessário para desenvolver as habilidades a partir de práticas pedagógicas.

A aplicação deste currículo, que foi desenhado para ser flexível, fortalecendo a autonomia das redes, pode ser feita de duas formas: 1. pode-se desenvolver as temáticas de tecnologia e computação de modo transversal aos demais temas abordados na BNCC, sem criar um novo componente curricular; 2. pode-se desenvolver uma área de conhecimento específica.