Territórios lançam seus projetos de inovação educacional selecionados na chamada pública do BNDES – Educação Conectada

Foto: Diego Nóbrega.

02 de abril de 2019

Em março, começaram os lançamentos dos projetos de implementação e uso de tecnologias digitais em quatro territórios contemplados pela Chamada Pública BNDES: Educação Conectada – Implementação e Uso de Tecnologias Digitais na Educação, envolvendo 11 redes municipais e estaduais, 271 escolas, mais de 6.500 professores e 104 mil alunos.

A iniciativa complementa o Programa de Inovação Educação Conectada, do Ministério da Educação, que prevê disponibilizar internet de alta velocidade e fomentar o uso pedagógico de tecnologias digitais na educação básica pública até 2024. Os projetos poderão receber até R$ 20 milhões em apoio não reembolsável.

O CIEB integra essa parceria elaborando diretrizes, conceitos e oferecendo ferramentas e assessoria técnica para a implementação dos projetos locais.

O lançamento no território da Paraíba, que compreende a rede estadual e as redes municipais de Campina Grande e Sousa, aconteceu no dia 14 de março, na Escola Cidadã Técnica Bráulio Tavares. Serão beneficiados nesse projeto 103 escolas, 2.469 professores e 37.581 estudantes.

“A iniciativa é uma ação ampla do banco para apoiar a educação no país, utilizando recursos não reembolsáveis em projetos selecionados por meio de chamada pública”, explicou o gerente Conrado Leiras, do Departamento de Educação e Cultura do BNDES.

Com práticas pedagógicas inovadoras, como ensino personalizado, ensino híbrido e ensino baseado em projetos, o território da Paraíba estima alcançar resultados concretos, como melhoria nos índices de alfabetização nos 1ºs e 2ºs anos do fundamental, melhoria de proficiência em português e matemática nos 3ºs, 6ºs e 9ºs anos do fundamental e redução dos índices de distorção idade-série e da evasão escolar nos anos finais do fundamental e do médio. As ações do projeto contemplam as quatro dimensões da política de Inovação Educação Conectada: visão, formação, recursos educacionais digitais (REDs) e infraestrutura.

Os próximos passos serão as ações de inserção de diretrizes e políticas de uso da tecnologia nas redes, mapeamento de competências dos professores relacionadas ao uso da tecnologia para fins pedagógicos, diagnóstico dos recursos educacionais digitais e de infraestrutura disponíveis nas escolas, informa Branca Heloísa Souza, especialista em Educação do CIEB que integra a equipe de apoio ao programa. (Com informações do site BNDES)

Foto: Diego Nóbrega.