Voltar à lista

TICs para letramento de surdos

A educação básica inclusiva de pessoas com deficiência auditiva por meio de recurso de tecnologia assistiva baseada em computador

Universo Analisado
4
artigos acadêmicos
Publicados de
2013
a
2017
Principal Pergunta de Pesquisa

Como tecnologias digitais utilizadas no Brasil dão suporte ao letramento de surdos oralizados, sinalizados ou bimodais?

Principal Achado
Outros Achados

Quais as soluções de tecnologia digital foram reportadas na literatura brasileira para o letramento de surdos oralizados, sinalizados ou bimodais?

Site SOCRATIVE + Word + Power Point

JClic (8 dimensões/fases)

Software LIBRAS R.A.

Objeto de Aprendizagem Genérico (não teve especificação do software utilizado)

Como tecnologias digitais utilizadas no Brasil dão suporte ao letramento de surdos oralizados, sinalizados ou bimodais?

Nas atividades de contação de estória, criação de glossário no Word e criação de relação de imagem com objeto no Power Point, além da escrita da palavra em português e em LIBRAS. Também houve realização de ditado em duplas. A segunda parte da atividade a aplicação de um questionário online contendo perguntas sobre um texto previamente lido. Houve atividades de estudos gramaticais com exercícios de aumentativo e diminutivo também nesse questionário online. Por fim, foi aplicada uma atividade de quebra-cabeça. É importante ressaltar que não fica claro como foi feita a contação da estória e se inclusive, usou-se LIBRAS para isso. Não há evidências claras da eficácia do uso dos softwares para melhorar o letramento no contexto apresentado.

Utilizaram o JClic, ferramenta para criação de testes e atividades educacionais multimídia. Criou-se uma atividade de identificação das letras do alfabeto de português escrito para LIBRAS. A ideia foi fazer associação das letras (cursivas e de bastão) com os sinais das letras separadamente. Adotou-se aqui o método de avaliação TALES (Teste de Análise de Leitura e Escrita para alunos Surdos). Não há discussão dos resultados do TALES aplicado, nem quanto de acerto ocorreu para indicar efetividade na solução proposta.

Composto por tarefas que possuíam um conjunto de palavras escritas em português e seu sinal correspondente em LIBRAS. O diferencial é que usaram bibliotecas 3D para representar os sinais em LIBRAS.

Usaram texto, imagens e cartoons para transformar esse conteúdo em LIBRAS. Depois de uma discussão inicial, o framework vai (no futuro ainda, porque está à nível de prototipação) permitir que outros significados possam ser dados às palavras e ao contexto. Está a nível de protótipo, não se tem o nome, nem tem como testar. (quase foi excluído, mas deixei para ver o que poderia extrair).

Quais os custos de se implantar tecnologias assistivas para dar suporte ao letramento português para alunos surdos?

Este valor é desconhecido, tendo em vista que os artigos não trazem essa informação. Nem ao menos informam se o software é livre, open source, gratuito, etc.

Quanto tempo leva a adoção/intervenção de tecnologia digital para dar suporte ao letramento de surdos?

Não há uma padronização na adoção, nem do tempo nem do local onde essas tecnologias foram adotadas. Alguns adotaram em escolas, outros em associações, outros em casa, com os familiares. Alguns pesquisadores adotaram durante 2 dias, outros 2 meses, outros 14 semanas.
Produção de conhecimento sobre o tema

A maioria dos artigos não trazem informações sobre como foi aplicada a tecnologia digital, muito menos as evidências de aplicação de tecnologias em escolas do ensino básico.

Muitas soluções são à nível de protótipo e ideação e acabam sem ter um produto concreto que auxilie na solução do problema proposto.

As avaliações das adoções, quando existem, são superficiais, sem ter representação estatística sobre o tema.

A falta de metodologia científica e report dos estudos é algo que realmente chama atenção durante a análise dos artigos.

Muitos trabalhos fazem revisão de literatura ou levantamento para saber quais softwares poderiam ser utilizados, e trazem soluções em cima de suposições teóricas, sem há evidências práticas do benefício dessa adoção.

Alguns trabalhos são construídos em cima de protótipos desenvolvidos nos laboratórios das universidades, que por vezes, fazem no máximo observações de uso em um número muito pequeno de participantes, a citar 2-6, em Associação de Apoio aos pais ou parentes dos surdos.

O processo de letramento e alfabetização nem sempre é o foco do estudo, tendo em vista que a comunicação ou tradução de português em LIBRAS é o objetivo do trabalho.

O custo de se adotar a tecnologia não é descrita e muitas vezes não há nem a informação se o software é livre, pago, open source etc.

O estado-da-arte, dentro do escopo delimitado pelo projeto (Educação Básica - Letramento Português - Adoção de Tecnologia Digital), parece estar andando a passos lentos, pois o conhecimento gerado, pelo menos os reportados na literatura, não trazem evidência, de forma efetiva, sobre a adoção dessas tecnologias para letramento de pessoas surdas.

É possível observar que a Literatura relativamente recente na área (2013 - 2017), talvez isso consiga explicar alguma imaturidade no report dos artigos.

As áreas de pesquisa contempladas nas pesquisas da seleção final foram “Ciência de Sistemas”, “Educação”, “Informática”, “Comunicação”.

Apenas um dos artigos foi publicado em conferência internacional, todos os outros em revistas e conferências nacionais.

Desafios Encontrados
Palavras-chaves
Deficiência Auditiva Letramento Libras Português Software Surdo Tecnologia Assistiva Vocabulário Receptivo
Autores
  • Juliana de Albuquerque Gonçalves Saraiva
  • Yuska Costa Aguiar

Nenhum artigo nesta revisão

Carregando...