Relatório do Guia EduTec avalia a adoção de tecnologia para fins educacionais em 14 estados brasileiros e no Distrito Federal

CIEB_site_relatorio-guia-edutec

O Guia EduTec é uma ferramenta de gestão desenvolvida pelo CIEB em 2016 que mensura a utilização de tecnologia para fins educacionais nas redes de ensino. Sua base é um questionário on-line de 22 perguntas que devem ser respondidas por diretores escolares acompanhados de dois professores.

Em 2016, a ferramenta foi aplicada em 14 estados brasileiros e no Distrito Federal, resultando em cerca de 13 mil escolas das redes estaduais de ensino pesquisadas, e culminou na elaboração de um relatório com suas descobertas. Como referência, foram considerados cinco níveis de adoção da tecnologia, do exploratório (nível 1) ao muito avançado (nível 5).

O Guia EduTec aborda o uso de tecnologias para educação em quatro dimensões – visão, competências, conteúdos e recursos digitais e infraestrutura –baseando-se na teoria do Four in Balance, desenvolvida na Holanda pela Fundação TIC para a Escola (Kennisnet) que prevê que a tecnologia para a educação só atinge seu pleno potencial quando os quatro elementos são considerados e estão em equilíbrio. Os resultados gerais do Guia EduTec revelam que existe grande disparidade entre os estados brasileiros quanto à adoção de tecnologia para a educação.

tabela relatório guia edutec

 

Os dados coletados a partir dos estados respondentes permitem inferir que, até o momento, os grandes gargalos para a implementação de tecnologia nas redes públicas são infraestrutura – em 4 a cada 5 escolas, o acesso simultâneo de múltiplos equipamentos a conteúdos multimídia não é possível– e formação dos professores.

Mais do que diagnosticar o grau de adoção da tecnologia nas redes estaduais de ensino, o Guia EduTec inaugura uma referência para propor um debate qualificado e atual sobre a construção de políticas públicas de tecnologia para fins educacionais. O objetivo é, a partir de uma visão ampla sobre o cenário nacional, elaborar políticas que possam atender às diferentes demandas das redes públicas de ensino.

 

CONFIRA O RELATÓRIO COMPLETO